HOME

 

 

 

  

 

WALTER GROPIUS

((18/05/1883 - 5/07/1969, BOSTON)

 

 

Um arquiteto que trouxe importante contribuição para o movimento modernista foi Walter Gropius. Gropius foi um dos nomes mais importantes da renovação estética do século XX. Ele fundou a Bauhaus de Weimar em 1919, com o objetivo de combinar o ensino artístico e técnico em um só lugar. Gropius desenhou o prédio da Bauhaus de Dessau em 1925, sendo este seu projeto mais conhecido. Walter Gropius não foi o primeiro, mas foi um dos principais responsáveis por uma reviravolta que tentou unir arte e técnica.

 

 

WALTER GROPIUS (18/05/1883 - 5/07/1969, BOSTON).

 

BIOGRAFIA

 

Gropius estudou arquitetura de  1903 a 1907 no Technische Hochschule de Berlim e Munique. Depois de obter a licenciatura fez as habituais viagens ao estrangeiro, visitando vários países europeus. A sua experiência prática foi adquirida no estúdio de Peter Behrens e, em 1910, abriu um atelier, com Adolf Meyer. Os dois colaboraram num projeto para a fábrica de sapatos Fagus, em Alfeld an der Leine (1910-1914), um dos primeiros exemplos de fachada cortina.

Em 1914, construíram uma fábrica-modelo para a Exposição da Werkbund, em Colônia. Depois da guerra, por recomendação de Henry van de Velde, Gropius foi nomeado diretor da Grossherzogliche Kunstgewerbeschule de Veimar (Escola Grã-Ducal de Artes Aplicadas de Veimar) e do Grossherzogliche Hochschule für bildende Kunst (Academia Grã-Ducal de Artes). Em 1919, Gropius fundiu as duas escolas numa só - a Bauhaus Estatal. Quando esta foi forçada a mudar de sítio, Gropius planejou um novo complexo para o citado instituto, em Dessávia (1925 - 1926).

De 1926 a 1928, Gropius executou o seu projeto maior, o complexo Törten, perto de Dessávia, onde usou, parcialmente, elementos pré-fabricados de betão armado. Também em Dessávia, construiu a Konsumverein (Sociedade Cooperativa), em 1927, e o Departamento de Emprego da Cidade (1927 – 1929). Seguiram-se mais edifícios para a Urbanização Residencial de Dammerstock, em Carlsrue (1928 - 1929), um projeto coordenado por Gropius. Ao mesmo tempo, enquanto trabalhava para Erwin Piscator, aperfeiçoou o seu Conceito de teatro total, com o palco giratório que podia ser transformado num proscénio ou em palcos com várias profundidades (1927). Em 1928, o arquiteto deixou a diretoria da Bauhaus, em favor de Hannes Meyer, e mudou-se para Berlim, onde tornou- se arquiteto supervisor do bairro de Siemensstadt (1929 - 1930), ficando ele próprio encarregado de dois blocos - casas altas e esguias com pérgulas.

       Depois de os nazis terem tomado o poder, Gropius emigrou para Inglaterra, em 1934, e, até 1937, trabalhou com o arquiteto Maxwell Fry em projetos como a Casa Ben Levy, em Londres (1935), e o Colégio da Aldeia de Impington, em Cambridgeshire (1936 - 1940). Quando lhe ofereceram o posto de professor de arquitetura em Harvard, foi para os EUA. Aí colaborou estreitamente com Marcel Breuer em esquemas como habitações para trabalhadores, em New Kensington (1941), e, muito mais tarde, trabalhou com Konrad Wachsmann na produção massificada de casas (1943 - 1945). Em 1946, Gropius fundou o grupo TAC, The Architects Collaborative, com artistas jovens. Um efeito notável desse esforço coletivo foi o Centro para Licenciados e o Dormitório na Universidade de Harvard, com sete casas residenciais e um centro comunitário (1949 – 1950). As obras mais importantes do fim da sua carreira incluem o Edifício da PAN AM, com 59 andares, prismático, em Nova Iorque (1958 - 1963), concebido em colaboração com o TAC, Pietro Belluschi e Emery Roth and Sons, a Fábrica de Porcelanas Rosenthal, em Selb (1965 - 1967), e a Fábrica de Vidros Thomas, em Amberg (1967 - 1969). Gropius expôs as suas teorias arquitetônicas em numerosas publicações como a Internacionale Architektur (1925), Bauhausbauten Dessau (1930) e The New Architecture and The Bauhaus (1935).

Walter Gropius não foi o primeiro, mas foi um dos principais responsáveis por uma reviravolta que tentou unir arte e técnica. A Escola Bauhaus, criada por ele, pregou, basicamente, a superação do academicismo da "beaux-arts", a fusão da formação artística com o artesanato industrial, a utilização de oficinas práticas e o desenvolvimento das aptidões de cada aluno. Desta forma, a arquitetura passava a recuperar sua importância, principalmente de cunho social, já que a idéia era desvinculá-la da burguesia e torná-la mais próxima possível do operariado.


 

BAUHAUS

 

Escola fundada em 1919 por Walter Gropius em Weimar, Alemanha e, mais tarde, localizada sucessivamente em Dessau, Berlim e Chicago, com o fim de desenvolver uma arquitetura funcional baseada numa correlação entre design criativo e a indústria e ciência modernas.A palavra Bauhaus significa "casa de construção".

Contra este cenário Gropius, presidente do "Conselho das Artes" pensou em juntar todas as artes debaixo das asas de uma arquitetura grandiosa que assentava sobre alguns pontos fundamentais:

1 - A nova arquitetura seria criada a pensar nos trabalhadores.

2 - A nova arquitetura deveria rejeitar todos os princípios burgueses.

3 - A nova arquitetura devia retornar aos princípios originais da arquitetura Western.

Gropius falava de ofícios futuros, determinados igualmente pela tecnologia e pela forma, atuando como um meio de trabalho experimental para a produção industrial.

A Bauhaus deseja contribuir para o desenvolvimento da habitação - apropriada à época -, desde a mais simples aparelhagem até a casa acabada. Convencida de que casa e mobiliário devem estar relacionados entre si racionalmente, a Bauhaus procura que a forma de um objeto derive das suas funções reais e limitações naturais - através de uma pesquisa sistemática teórica e prática nos campos formal, técnico e econômico.

A Bauhaus, dedicada à utopia coletivista, escolhe o Expressionismo como a sua forma de comunismo e não o Marxismo e a idéia de arte como uma quase - religião era dominante. Em adição a Bauhaus, outras escolas arquitetônicas (Futurista, Wendigan, de Stijl, Construtivista, Elementarista) competiam umas com as outras por uma visão mais pura da forma.

Os edifícios rapidamente se tornaram teorias postas em prática, de aço, madeira, estuque e vidro.

Um edifício devia ter um telhado plano e uma fachada simples, sem cornijas ou goteiras. Como a cor era considerada típica da burguesia, os edifícios eram brancos, cinzentos, beije ou pretos.

Á volta de 1924 a construção de casas para as massas era o maior objetivo social em Weimar.

A nova Bauhaus foi inaugurada em 4 de Dezembro de 1926. Sua base idealística  era um programa socialmente orientado em que um artista deveria estar consciente da sua responsabilidade social para com a comunidade. Por outro lado, a comunidade deveria aceitá-lo e encorajá-lo. Mas acima de tudo a intenção da Bauhaus era desenvolver mentes criativas na arquitetura e design industrial de modo a garantir que estariam em condições de produzir objetos artísticos, técnica e praticamente equilibrados.

Quando a Bauhaus mudou-se para a cidade de Dessávia, Walter Gropius – ou melhor, o seu atelier de arquitetura – passou a ter a oportunidade de talhar à medida um edifício novo para o instituto. Segundo os padrões analíticos de Gropius, todo o complexo foi engendrado de acordo com a função. Havia uma ala com oficinas, um bloco de alojamentos e estúdios para os alunos da Bauhaus e uma ala de ensino para o Colégio Técnico de Dessávia, que ficaria também situado no complexo, por desejo das autoridades da cidade. Gropius ligou essas três seções principais, diferenciadas nitidamente nos aspectos exteriores, volumes e alturas, por uma seção administrativa elevada e uma ala mais baixa, que desembocava no auditório, teatro e cantina, para criar uma estrutura equilibrada e retangular. O elemento mais espetacular do complexo era a ala oficinal, ao centro, perfeitamente visível de longe. Um delicado revestimento de vidro contido numa grelha regular de finas barras de aço negro cobria três lados do bloco de betão armado. O grande corpo prismático ganhava assim uma transparência leve e cristalina. Além do novo edifício da Bauhaus, Gropius construiu igualmente uma casa para o diretor e três residências semi-separadas para os mestres da escola - concebidas como modelos para uma nova maneira de viver a compasso com a era da máquina. Baseavam-se no sistema de módulos de um conjunto de blocos de edifícios em grande escala: casas que são compostas de peças pré-fabricadas, variáveis, funcionais. Embora os objetivos da estandardização e da industrialização da construção não tivessem sido atingidos em Dessávia - as casas eram feitas, de fato, de uma maneira totalmente convencional -, mesmo assim a manipulação formal dos volumes demonstrou de maneira convincente a presença estética que se pode obter quando tudo é reduzido a meia dúzia de formas cúbicas.

Gropius é feito diretor da Escola de Arquitetura de Harvard. Moholy - Nagy abre a nova Bauhaus que passou a fazer parte do Instituto do Design em Chicago e Mies Van der Rohe que se tornara diretor da Bauhaus em 1930 foi nomeado diretor do Departamento de Arquitetura no Instituto do Armamento em Chicago.

Walter Gropius veio da escola de arte industrial "Grossherzoglich-Sachsiche Kunstbewerbe" fundada por Henry Van de Velden em 1906.

"A Bauhaus deseja servir a atual necessidade de construção habitacional, desde o projeto aos utensílios decorativos. Convencida do fato de que uma casa e os seus utensílios devem estar numa correlação sensível entre si, a Bauhaus tenta encontrar a forma mais indicada para cada objeto de acordo com as suas funções e com experiências contínuas na teoria e na prática, de modo a que cada prato, cadeira ou casa pudessem ser produzidos de modo a funcionarem bem”.

(Walter Gropius).

 

 

A nova Bauhaus abordou a arte e a tecnologia a partir de um ângulo mais ecológico. As questões ambientais e os problemas conectados com eles foram tomados em consideração para um desenvolvimento em conjunto com os habitantes de Dessau.

A Bauhaus favorecia e defendia o uso de fontes Sans Serif o que era discutido pela maioria dos alemães que, regra geral, defendiam o uso de um tipo de letra mais pesado e complicado de estilo gótico.

 

 

 

 

 

  

 


 

III – CONCLUSÃO

 

 

 

 

 

Walter Gropius foi um dos nomes mais importantes da renovação estética do século XX. Ele fundou a Bauhaus de Weimar em 1919, com o objetivo de combinar o ensino artístico e técnico em um só lugar. Gropius desenhou o prédio da Bauhaus de Dessau em 1925, sendo este seu projeto mais conhecido. Walter Gropius não foi o primeiro, mas foi um dos principais responsáveis por uma reviravolta que tentou unir arte e técnica.


 

IV - BIBLIOGRAFIA

 

 

Arquitetura no Século XX

Peter Gössel – Gabriele Leuthäuser

Ed. Taschen

 

Walter Gropous

 

 

 

  

 

  

  

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 
 
 
 
Compare Produtos, Lojas e Preços

 

 

    

 MaCamp. Todos os direitos reservados.
Comentários e Sugestões   -   Este site